quinta-feira, 2 de junho de 2022

A inteireza do florir





 Quando muda pequena
mal imaginava o porvir
como, então, se tornaria
de frágil haste esguia
a frondosa figura alta
de aventuras vividas
entre um e outro dia,
promessas do amanhã
que ventos dançantes
por vezes, assustadores,
rosnaram em seus galhos,
lamentos cantantes nos
 ramos e nas folhas
tombadas sobre o chão,
este, que a viu crescer 
 e sustenta-lhe  na dor
de florir a esperança
dos brotos que virão.




17 comentários:

  1. Um poema magistral. Adorei :))
    Beijinhos. Boa noite.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite de paz, querida amiga Carminha!
    Que espetáculo é a inteireza do florir!
    "Este, que a viu crescer
    e sustenta-lhe na dor
    de florir a esperança"
    Vejo a Mão de Deus no florir a Esperança tal e qual descreveu tão poeticamente.
    Foi lindo e fortalecedor ler aqui agora.
    Obrigada, amiga.
    Tenha dias abençoados de paz!
    Beijinhos com carinho fraterno

    ResponderExcluir
  3. Maravilhosa poesia,Calu e que fotos lindas. Muito bom acompanhar o crescer e o florir...Adorei! beijos praianos,chica

    ResponderExcluir
  4. Poema e imagem fascinantes. Gostei muito de ler e ver.
    .
    Cumprimentos poéticos.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  5. Poema muito belo, amiga Calu.
    Até no florir há que haver inteireza.
    Sempre no caminho que nos leve à
    esperança e ao amor.
    Bom fim de semana.
    Beijinhos
    Olinda

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde Calu,
    Magnífico poema inspirado nessas lindíssimas árvores de flores brancas que enfeitam parques do Canadá!
    Curta, mas linda a primavera por lá!
    Desejo-lhe um bom fim de semana.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
  7. Olá, Calu. Comentei aqui há dias, talvez tenha ido p o spam do blog. (!?) Está acontecendo muito no Blogger ultimamente.
    Bom fim de semana. Bjs

    ResponderExcluir
  8. Fotos e poema lindíssimos. O florir traz belezas encantadoras.
    Confundi-me, Calu, havia comentado mesmo foi no post anterior.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Belíssimo poema e fotos, querida Calu.
    Amei!
    Lindo fim de semana.
    Beijinhos muitos.
    Verena.

    ResponderExcluir
  10. Lindos registros, Calu! A semente nada sabe do longo caminho que vai percorrer, mas desde que acolhida, jamais será a mesma. O quadrinho ficou um amor. Bjs.

    ResponderExcluir
  11. As fotos são muito belas, o poema expressivo contém
    analogias e imagens interessantes e perfeitas.
    Sonhos de primavera... Foi preparado no Canadá?
    Um 'post' muito agradável, Carminha.
    Dias leves e felizes. Abraço grande.
    ~~~~~

    ResponderExcluir
  12. Bom dia, Calu!

    Está a nos impregnar de tanta beleza, palavras e imagens.

    Beijo! E gratidão pela troca em meu blog. Muito importante esse retorno para nós.

    Renata

    ResponderExcluir
  13. Olá Calu, lindíssima imagem e o poema muito envolvente e gostoso de se ler. Amei! Beijos ;) https://botecodasletras2.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Linda inspiração deste lugar que hoje acolhe seu coração. Lindas fotos e poema que metaforiza todo ser em evolução. bjssss

    ResponderExcluir
  15. Um belo poema e fascinantes imagens, que tão bem ilustram o despertar da natureza na época do florir... e que tanta inspiração pessoal nos transmite, tal época... lembrando-nos que é sempre tempo de recomeçar e renovar esperanças, que tanto nos aquietam o coração...
    Beijinhos!
    Ana

    ResponderExcluir

Teu comentário é o fractal que faltava neste mosaico.
Obrigada por tua presença querida!