quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Na Medida Certa

(Salvador Perez) 


A tal da medida certa é uma busca constante.Conseguir dosar com precisão a pimenta e o sal transforma qualquer feijãozinho em um manjar dos deuses.E o açúcar, então? Na medida certa é o néctar de sucos e sobremesas inesquecíveis.E, na esteira destas certeiras medidas, seguem outras mil situações de vida. O que  acontece na hora certa é marcante, seja uma palavra, um ombro amigo, uma comemoração...


Estou num destes momentos, onde caiu bem uma retomada de rumos.Filho, nora e crianças estão de mudança para o cantinho deles.
Desde a semana passada que meu coração está apertado de saudade.Um ano e dois meses de convivência não é pouca coisa.E, me acostumei ao movimento frenético de duas crianças, uma de nove anos e a outra de agora seis meses, nascida aqui, moradora do quarto ao lado, minha Valentina sapeca.


Embora a rotina seja capitã, não foram poucas as vezes que senti falta de um refúgio do burburinho.Um lugarzinho longe da algazarra.Na difícil realização do desejo,me adaptei e fui surfando conforme as ondas,ôpa!!


Sem tombos, nem ralação, aqui chegamos, nesta data que marca  a retomada de rumos da família, a deles, que será sempre a nossa, mas que precisa voltar a caminhar por seus próprios pés.Momento de satisfação por essas conquistas, mas de uma tristezinha também pela distância.Nada que muitas visitas por semana não curem.


Parei, olhei a bagunça em volta resultado da mudança inacabada e me vi retomando meu ritmo com prazer.O reencontro com o silêncio em medida certa, me recompõe.A retomada de minhas leituras no sofázinho que me cabe, me alegra.A pausa do ruído e a presença das minhas músicas preferidas, me alimenta.Os meus pequenos gostos, manias cultivadas, me reconstroem no melhor dos meus estilos ( como se referiu a Luma em post recente), o reflexo de mim mesma. 


Aperto o pause e vou para a leitura que me sorri sobre a mesa de centro da sala.
Fui!!!
*** 
Imagem: óleo sobre tela_Mulher com chapéu lendo/ Salvador Perez(Espanha-1948)

14 comentários:

  1. Como te entendo!!!Tudo tem seu tempo e hora e gostamos de ter a casa com eles, mas adoramos também sermos donas de nosso tempo e horário. Fazer o que der na telha!!Isso é perfeito!

    E visitinhas fazem bem, carinhos, depois tchauzinhos...Muito legal!!!

    Sempre lindo te ler.

    Desejo felicidades para toda família nesse novo momento.à eles, pela conquista e pra vocês dois, pela liberdade... beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Na medida certa...o seu espaço,o seu querer bem,o seu sossego,a sua privacidade.Dói?Dói,amiga,mas nada comparável á liberdade de ler seus livros,ouvir suas músicas,curtir as suas vontades...
    Amo meus netos(tenho quatro)e quando vêm passear aqui,é uma festa...quando vou até lá é outra,mas cada qual tem necessidade de seu espaço,é a lei da vida.Sinto saudades e eles também,mas é bom sentir esta saudade.Quando a gente se encontra é uma farra,brinco com eles,conversamos muito e depois,cada um para o seu cantinho,sendo que no caso é cada um em sua cidade.

    Bjsssssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
  3. Calu,imagino a diferença no astral da casa,pois onde há crianças sempre há muito movimento e cantoria!Mas, devagar vai voltando ao ritmo!...rss...tb é gostoso ter alguns momentos para ler tranquila!bjs e meu carinho,

    ResponderExcluir
  4. Calu, imagino bem esses sentimentos contraditórios. Vontade deles perto, vontade da sua privacidade.Já vivi isso e sei que são situações difíceis, tanto a vinda quanto a ida deles. No fim, tudo se ajeita.
    Para eles, toda a felicidade do mundo, na nova casa, o lar deles.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. OI CALU!
    VAIS SENTIR MUITA FALTA DESTA ZOEIRA DE CRIANÇA QUE TEM AQUELA ENERGIA SÓ DELES,"ETERNA".
    MAS, COMO BEM DIZES TAMBÉM ESTARÁS NOVAMENTE CONTIGO MESMA E SE SABES VIVER BEM SÓ, TE REENCONTRARÁS LOGO.
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
  6. Calu, você fez a 'lição de casa' direitinho!!! E nem poderia ser diferente, pelo que vejo aqui...

    A onda termina onde deve terminar, né? A praia é tranquila porque o mar sabe a "medida certa" das marés...

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
  7. Olá, querida Calu
    Passo pra agradecer a sua carinhosa participação na Série Comemorativa do meu Blog no dia de hoje...
    Eu também preciso de me recompor pelo silêncio e volta e meia "fujo" pra ele... se ele tiver "sumido" de mim...
    DEUS te cubra de bênçãos e te faça feliz!!!
    Bjs festivos de paz

    ResponderExcluir
  8. Olá Calu,

    Passada esta tristezinha inicial, diante desta ausência consentida, o retorno à rotina e aos hábitos que nos aprazem é bem gratificante.
    Haverá, sem dúvida, momentos de assombro, mas cada um deve seguir a sua estrada na vida.
    Deguste bem sua liberdade e quando a saudade apertar é
    só fazer uma visitinha.

    Felicidades a todos neste novo estágio de vida.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  9. Calu

    Um final de férias sem a convivência das crianças . A vida é assim sempre um novo recomeço embalando o cotidiano.Situações que remete a saudade, mas que você consegue contorná-las com otimismo. Adoro ler os seus textos tem sabor de muito amor e ternura.

    Um lindo dia para você.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Bom dia,Calu!!

    Ah!Minha amiga!Que TEXTO!Lindo de ler!!Se escreves com sua alma(o que acredito)só posso dizer que és LINDA e agradecer por partilhar conosco!
    Saber se adaptar e aproveitar as oportunidades,é sabedoria.Tudo tem seu tempo.E quando aceitamos isso,sabemos aproveitar muito bem tudo o que a vida vai nos oferecendo!
    Beijos,minha amiga!!!
    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  11. Compreendo você bem, querida Calú.
    Amo o silêncio, o sossego, adoro meus serões literários sem TV ligada, sem gente se movimentando pela casa.
    Mas ainda há pouco, fui passar umas mini-ferias na casa de praia com minha mãe, irmão, namorada dele... Foi tudo muito divertido e retornei saudosa, mas... que bom que é voltar ao meu mundinho ZEN :)
    Cada um tem seu ritmo, sem dúvida.
    Beijinhos e até dia 7, na teia ambiental.
    Rute

    ResponderExcluir
  12. Hoje com o coração muito apertado
    com a alma triste pelo afastamento
    do menino poeta enamorado da (LUA)
    Um poeta que conta as estrelas
    da sua janela .
    Vai deixar uma grande lacuna não só
    no meu coração.
    Mais a todos que ama seus poemas
    e o carisma que trata todos nos.
    Minha homenagem ao meu maior idole
    esta na postagem.
    Vai se afastar sim:deixando seu livro
    um grande legado para quem conseguiu um exemplar.
    E seu exemplo que jamais vou esquecer
    Como esquecer de quem tanto me apoia
    de quem eu tanto amo.
    Virei poeta para homenagea-lo .
    Um abençoado final de semana beijos paz e luz.
    Evanir..

    ResponderExcluir
  13. Medida certa na descrição desses movimentos da vida humana. Saber estar junto, mas também separado; estar com o outro e consigo. Esta é a medida que eu também considero importante.

    Há convite no meu espaço para VC.
    bjs

    ResponderExcluir
  14. Li que a gente se acostuma e dificil romper com estes costumes.Mas que a retomada é preciso,não se discute,bem como ter andar com os proprios pés é tudo que precisamos.A dose certa na medida certa da vida é o que faz a diferença em todas relações.Mas que o direito ao silencio na hora certa é engrandecedor.Tudo de bom minha amiga e que a paz seja possivel.
    Carinhoso abraço.
    Beijo.

    ResponderExcluir

Teu comentário é o fractal que faltava neste mosaico.
Obrigada por tua presença querida!