terça-feira, 16 de maio de 2017

Entre pais e filhos







Correndo os olhos pelas notícias dos jornais me deparei com o artigo do Mário Sérgio Cortella, intitulado:" Os pais esquecem que a família não é uma democracia"; dado lido e imediatamente reconhecido. Num zás-trás( como dizia minha avó) revi e ouvi nitidamente meu marido falando com as filhas adolescentes indignadas ante a permissão negada pelo pai pra algum plano mirabolante.

Era um tal de choramingos e justificativas entre suspiros lamentosos de cortar o coração. O meu já vivia laminado, mas na frente delas eu ajudava a minimizar o clima. Depois, entre quatro paredes, ia ponderando com o maridão a validade da negativa se assim me parecesse justo.

Sabemos quão fina é a linha que tece as relações pessoais entre as gerações e o quanto é difícil calcular a elasticidade segura pra ambos os lados.Com duas filhas adolescentes e dois garotos, na mesma casa, os interesses se divergiam na maior parte do tempo. Nos dividíamos, eu e o pai, pra atendermos a todos e trago comigo a certeza de que fizemos o que achávamos mais certo e seguro pra filharada, mas vá explicar isso pra adolescentes borbulhantes... é discurso longo, ponderação comprida, justificativas embasadas até que ante a resistência vitimizadora das duas, o pai declarava:
___ Isto aqui é uma democracia, eu que mando!

Claro, que eu disfarçava o riso pra não perder a solenidade,mas no fundo sabia que lá vinham horas de consolo e muita saliva.A mais velha entrava dentro do armário de roupas, que era enorme, não sei até hoje como não despencou uma prateleira na cabeça dela.A mais nova se trancava no banheiro pra chorar dizendo-se um ET na vida.E entre lamúrias e choros salvaram-se todos.

Hoje, adultos e, pais e mães, vão sentindo o quanto é grande a tarefa de educar bem os filhos para a vida, tentando formá-los e informá-los sobre si próprios e o mundo que os espera.Tarefa hercúlea, mas possível. 






segunda-feira, 24 de abril de 2017

Alinhavando as páginas - Por Onde Voas Passarinho?





(*)

"O outono é a estação de uma nova descoberta. Não há urgência. Nenhuma obrigação. A natureza está tranquila..."
 ( Rubem Alves)


Somos feitos de histórias e, cada vez mais me convenço disto.A preferência é e, será sempre, pelas histórias maravilhosas que moram nos rasgos das horas luminosas a enfeitarem o correr dos dias que nos trazem sorrisos francos, leves e naturais. Ah, como isso faz diferença em meses, em anos, em vidas.Se assim não o fosse , não guardaríamos lembranças palpáveis e memoráveis. Não teríamos álbuns de fotos, cartões antigos com felicitações e coisas afins, desenhos dos filhos(as) quando crianças e agora dos netos; pra alguns tralhas acumulativas, pra mim, retalhos do que sou, preservados com carinho.

Digo o mesmo sobre certas situações inesperadas que se revelam doces vivências, ricas lembranças e fortes desejos de as repetirmos, tipo: reuniões com amigas, festas de aniversários, passeios em conjunto, festejos em família... Há também outras que não vêm com rótulo e acabam se mostrando tão significativas quanto as referidas. Estas acontecem neste universo-menino da blogosfera.Quantas interações/trocas fortuitas já aconteceram e quantas mais por acontecer se tornaram marcantemente adoráveis. 

A lista é enorme e, na minha particularmente, se somam as deliciosas páginas do Diário de Viagem do nosso Verdinho, cada vez mais aventureiro e feliz e, eu me sentindo emocionada a cada leitura, a cada carinhosa narrativa postada nos blogs. Nosso viajor alado faz amigos(as) a cada estada e enche meu coração de ternura e gratidão infindas.
Obrigada de coração, gente querida. Vcs fazem meus dias mais brilhosos!




(foto Jacki Lins)


Sugiro, entusiasmada, uma visita ás páginas maravilhosas do Diário do Verdinho
Passeios e encantos garantidos!



http://cronicasdachica.blogspot.com.br/2017/02/por-onde-voas-passarinho.html 

http://ladodeforadocoracao.blogspot.com.br/2017/02/eu-vi-o-passarinho-verde.html 

http://enkantosdalena.blogspot.com.br/2017/03/por-onde-andas-passarinho.html

https://pitadasdilu.blogspot.com.br/2017/03/por-onde-voas-passarinho.html 

http://espiritual-amizade.blogspot.com.br/2017/03/estou-vendo-passarinho-verde.html

http://mineirinho-passaredo.blogspot.com.br/2017/04/passarinho-viajor.html

http://toninhobira.blogspot.com.br/2017/04/um-passarinho-viajante.html

http://seminhabicifalasse.blogspot.com.br/2017/04/por-onde-voas-passarinho-diario-de.html

http://meucantinhos.blogspot.com.br/2017/04/por-ondes-voas-passarinho.html

http://bichinhosamados.blogspot.com.br/2017/04/bichinhos-por-onde-voas-passarinho.html



(*) Mimos presenteados pela Lúcia Haddad.



sexta-feira, 7 de abril de 2017

O prazer de ler - leitura recomendada








Confesso, menos culpada que desalentada, ter lido muito menos do que queria ou merecia nestes últimos quatro anos. As lidas exigentes da vida me tiraram o ânimo por vezes seguidas e não pouco, me peguei desanimada demais pra dedicar atenção à leitura fosse de que natureza fosse. Amigas chegaram a emprestar-me alguns títulos interessantes aos que me esforcei pra conhecê-los profundamente, qual o quê , mal chegava na vigésima página e o devolvia à dona.

Conto contente, em figura repetida, que isto mudou desde o fim do ano passado.De lá pra cá já li três livros, uma volta triunfal ao universo tão querido da leitura.Dos três lidos, tive um prêmio extra no terceiro escolhido e olha que é o mais novinho da pilha de espera, aquele que desperta certa culpa por passar à frente dos mais antigos da lista, mas assim foi e não me causou arrependimentos de forma alguma. Um verdadeiro presente dos deuses da escrita.

Logo nas primeiras páginas fui seduzida pelo estilo narrativo da autora em estupendas construções líricas, intensas e nunca extensas, passando longe, bem longe de qualquer sombra de tédio, o romance me fisgou, me encheu os olhos, a alma e o espírito de fulgor vívido por uma bela e bem contada história.Ele já figura em segundo lugar em minha lista dos dez melhores dos últimos dez anos.

Envolvente, surpreendente, encantador, inesquecível... Recomendo em eco alongado por todos os quadrantes da blogosfera, se é que os há.Duvido que alguém se desaponte com a leitura, mas sempre há exceções.De toda maneira, confirmo a recomendação.Se vcs a aceitarem, depois me contem suas opiniões.

Aqui vai uma provinha do fundo da colher:

" ___ Não, Livros são como pessoas, e pessoas são como livros. Vou explicar como faço.Eu me pergunto: ele ou ela é protagonista da sua vida?Qual é a sua motivação?Ou ela é coadjuvante na própria trama? Ela está tentando se retirar da própria história..."
(Nina George__ " A livraria Mágica de Paris")


Parafrasendo Milton: " Há canções e há momentos( leituras)
Que eu não sei como explicar..."


Finalizo deixando com vcs um dos poemetos da amiga Rosélia que simboliza o bom estado de espírito:

Tingir o Cotidiano

Colorir o cotidiano
Faz bem ao viver!
Embelezar tudo que 
Ao nosso redor estiver!
Seja com qual cor for,
Vale a pena tingir todo desamor!




~~~~~~~~~~~


Mais duas páginas tocantes do Diário do Verdinho em terras baianas e gaúchas.Alegria e poesia rechearam mais estas estadas do nosso viajor.Confiram lá no Toninho Bira e na Tiane ( imperdíveis):

http://mineirinho-passaredo.blogspot.com.br/2017/04/passarinho-viajor.html

http://toninhobira.blogspot.com.br/2017/04/um-passarinho-viajante.html

http://seminhabicifalasse.blogspot.com.br/2017/04/por-onde-voas-passarinho-diario-de.html


Obrigada amigos e amigas da Blogosfera, vcs me presenteiam a cada postagem.



terça-feira, 4 de abril de 2017

Encontro Fortuito - Horas Especiais







Quando as conjunturas combinam naturalmente dão nascedouro a encontros fortuitos, daqueles amoldados sem esforço, em justaposição de fato e ocasião; aqueles que são especiais por somarem tudo de bom.
Assim tem sido nossos encontros e, com toda certeza, mais outros assim o serão.


Fomos recebidas com imenso carinho e capricho pela nossa querida anfitriã, Verena, que nos brindou com um almoço delicioso, regado a acepipes irrecusáveis.



Desde a arrumação da mesa ao gesto acolhedor, a tarde se fez ainda mais luminosa entrelaçada na alegria contagiante, 



Não faltaram mimos de toda espécie. Chocolates sortidos e tentadores, acessórios trançados com carinho e cor.




Horas inesquecíveis e velozes, porém intensas, marcaram este dia ultra feliz.
Obrigada, Verena, Rosélia, Jack e Lúcia, por este laço especial!



~~**~~**~~**~~






quinta-feira, 30 de março de 2017

Céu de outono - olhares antigos






Mesmo sendo repetitiva, vou insistir, me perdoem se lhes canso e, até posso imaginar o aceno de cabeça que vocês me respondem, sim, porém, repito incansavelmente que a atual estação me encanta, me energiza, me renova e me faz sorrir à toa.Pois, foi no passeio de domingo passado pelas atrações da nova zona portuária que fomos dar, ao fim, num pequenino restaurante da rua do Rosário, centro do Rio. 
Poucas vezes estive naquela parte final da ruela famosa.Pedaço tradicional em seu calçamento de paralelepípedos marginado pelos sobrados coloniais e encantadores, ao menos, aos meus olhos.Ia pelo passeio com as crianças pelas mãos e olhos para o alto, desfrutando daquele pedaço de história encravado no frenesi dos arredores.Não há como não sentir-se cativa aos detalhes primorosos da arquitetura, tão bem  preservados; verdadeiros monumentos históricos que parecem nos chamar a conhecê-los mais de perto.É como se dissessem:
" __ Aproximem-se, escutem atentos, temos muitas histórias pra contar."




E como é difícil pra mim não cair em tentação de aceitar o convite e bater à porta, pedir licença e me extasiar pelas paredes, assoalhos e alpendres do casario.
Poupando os passos pra não me distanciar daquela magia, descobri surpresa que a poucos metros dali, fica o marco zero do Rio. Vejam só que ironia atrelada à ignorância, saber onde fica o marco zero de Paris e desconhecer onde está situado o do Rio. Negligência corrigida, consciência consolada.




O Centro da cidade conseguiu preservar o encanto do Rio antigo em meio aos arranha-céus modernos em suas fachadas espelhadas a emprestarem reflexos iluminados ao charme de épocas elegantes.





RUA DO ROSÁRIO