domingo, 15 de maio de 2022

Parque-jardim das tulipas-Canadá

O  festival da tulipas em Ottawa/Canadá é um dos eventos mais aguardados na capital federal. Um encantamento sem fim, pois, além de expor florações multicores é marco oficial da abertura da primavera no país. 

O festival acontece sempre na segunda semana de maio e atrai a população local e visitantes.O Parque é imenso. Oferece lazer e distração pra toda família e para todas as idades com seus amplos espaços gramados, um lago margeando os arredores onde muita gente pratica esportes aquáticos.

A prática do picnic é comum em todo parque. Toalhas de xadrez destacam-se nos gramados fazendo cenário ainda mais colorido e festivo.

Há nos rostos dos frequentadores uma alegria palpável, um sorriso cordial,uma vibração maravilhada em meio a toda natureza exuberante ali presente como convite para desfrutar das belezas da vida.

Foi, pra mim, um passeio maravilhoso e repleto da alegria de ver além das belezas expostas, a alegria das pessoas em voltar a viver com liberdade e plenitude.










 

terça-feira, 10 de maio de 2022

Maio primaveril


 

Lá vai maio transcorrendo aos dez dias que se mostram cada vez mais verdes por aqui. Por onde a vista alcança cresce a grama em projeção geométrica.Tudo desabrochando, desde florzinhas pequeninas a outras mais viçosas. 

Na frente dos grandes markets há pilhas de terra ensacada, mudas variadas de folhagens e flores.Basta a primavera se anunciar e o povo todo se lança aos cuidados com a jardinagem. Todas as casas tem um jardinzinho sempre bem ornado com plantas no chão e nos vasos. O clima primaveril envolve as cidades e movimenta a população.  

Aqui se vê a distinção das estações bem definidas. Os parques com exposições se multiplicam pela cidade. Estou na expectativa de uma visitação ao Festival de tulipas de Ottawa que engloba centenas de tulipas em meio a eventos de arte, história e culinária. 

Na primavera acontece a extração do famoso xarope Maple, essência doce extraída da Maple( árvore típica do Canadá).  




quinta-feira, 5 de maio de 2022

Maio adocicado


  • Mesmo sendo imagem tipica do outono nas terras do norte, se encaixa bem na pauta do dia de hoje. O vento que por aqui sopra agitando os galhos altos, levantando as folhas caídas é reconhecido  como típico nestes dias primaveris. Alternam-se sol tímido em dias nublados com sol forte em dias de céu aberto.

    No balanço das horas vamos cumprindo a agenda das crianças Elas dão o ritmo dos dias, ainda mais depois de tanto tempo de afastamento, todo instante  que passamos juntos tem sabor especial. 


" Meu amor independe do que me fazes. Não cresce do que me dás.Se fosse assim ele flutuaria ao sabor dos teus gestos.Teria razões e explicações. O Amor é estado de graça e com amor não se paga.Nada mais falso do que o ditado popular que afirma que "amor com amor se paga." O amor não é regido pela lógica das trocas comerciais. Nada te devo. Nada me deves. Como a rosa que floresce,eu te amo porque te amo." 
(Rubem Alves) 






Para todas as mamães, desejo um dia recheado de sorrisos e grandes alegrias! 
Feliz Dia das Mães! 

terça-feira, 26 de abril de 2022

Hoje, 26 de abril de 2022


 O dia amanheceu cantando,

todo cidade amanheceu em flor,

passarinhos voaram em bando

para Isabela que já chegou.




Foi assim, mal o sol nasceu lá nas bandas do norte e a pequenina florzinha, Isabela, chegou de surpresa e estreou um dia novinho para toda família.


Foram tantos"Ohw e Ahw", derramados em áudios e vídeos a encherem a página do zap-zap o dia inteiro que lotaram a galeria do celular. Ninguém desgrudava da telinha, muito menos , eu.


Até os olhos sorriam com tamanha felicidade. 

Isabela chegou, fofíssima e cabeluda; amadoca da vovó(rs).


Estou assim, em estado de graça por mais essa preciosa bênção em minha vida.

Viva Belinha!




segunda-feira, 18 de abril de 2022

Canto do rio - poesia todo dia


( Poesia todo dia)


Canto do rio

( Eu)

Aprendi que um rio 

são águas correntes,

nesta fala não me fio,

prendo o olhar e atento 

para o som que faz o rio.

Som de valsas murmurantes,

Som de ímpeto latejante,

Som de pedras cantantes,

Som de margens molhadas;

 Faz sonatas e interlúdios,

 em ópera alucinada

pelo cenário das quedas,

prenúncio de cataratas...


*** 

Isto-II 

 ( Fernando Pessoa)


Entre o sono e o sonho,

Entre mim e o que em mim

É o quem eu me suponho,

Corre um rio sem fim.


Passou por outras margens,

Diversas mais além,

Naquelas várias viagens

Que todo o rio tem.


Chegou onde hoje habito

A casa que hoje sou, 

Passa, se eu me medito;

Se desperto, passou.


E quem me sinto e morre

No que me liga a mim,

Dorme onde o rio corre

__ Esse rio sem fim.