domingo, 25 de março de 2012

Feito Passarinho...


Quanto mais o tempo passa e idade nós ganhamos, vão se esgotando as possibilidades de presentes originais.Ao se aproximar a data de aniversário, começam a chover telefonemas dos filhos, amigas, aflitos com o que queremos ganhar.E nós( mulheres maduras) os tranquilizamos com a célebre frase:__ o amor de vcs é o maior presente!

Mas isso não os sossega. Haja vista o que aconteceu no aniversário de 65 anos da sogra de meu filho, mês passado.Ela ganhou um vôo de asa delta da filha mais velha.Bem, para os dias de hoje, o que faria desmaiar uma senhorinha de 60 anos atrás com tal sugestão, não promove nenhum abalo, numa sessentona sacudida, alegre e destemida como a Leda.

Chegando o dia D, lá foram ela e o filho(irmão da presenteadora) para a rampa do parque da cidade que fica no alto do morro da Viração, um lugar lindo em meio a muita vegetação e uma vista privilegiada de toda a baía da Guanabara.

Leda seria a terceira pessoas a saltar naquela manhã.O pessoal do esporte comandava os preparativos, dava aquelas pílulas instrucionais aos candidatos como se fossem a aula- magna dos conhecimentos de vôo na traquitana voadora e suficiente explicação para tal audácia comemorativa.Mas, Leda , nem se abalava,queria inclusive uma foto na hora da decolagem para figurar num quadro em destaque na sala de casa.

Lá se foi o primeiro afoito.Corre, corre, corre pela rampa e se joga junto com o piloto no vazio abaixo.Segundos depois, surgem os dois planando.Próximo!Corre-corre-corre e saltam os seguintes.Segundos, minutos... e um barulhão. Agora corre todo mundo e vêem-se os dois, piloto e passageiro enganchados nas árvores metros abaixo.Desce a equipe de socorro.Depois do susto e alguns arranhões, os dois retornam acompanhados da equipe.Os demais instrutores acalmando todo mundo, dizem:__ È normal, tá tudo bem.Foi só um mau cálculo das correntes de vento.

Apavorado, o filho interpela a mãe:__ Vc não vai mais saltar.Vamos pra casa!
___ De jeito nenhum, vim até aqui pra usar meu presente e vou, disse ela.O azar foi com o cara da frente.Ele já caiu, então eu estou garantida.Vou voar!

Desafiando o bom senso e o "imponderável de Almeida", Leda foi firme na sua teoria de que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, apesar dos apelos do filho ,das ligações dos outros, ela não se intimidou e correu pra imensidão de céu e mar com audácia e euforia pela experiência de voar em corpo e alma por sobre a baía.
Agora figura na parede da sala a foto gloriosa da vovó Leda voando de asa Delta.

----------------
Imagem: uol.com

18 comentários:

  1. Calu
    Tô aqui rindo muito com a Sra. Leda.
    Ai, que eu não sei se encaro uma asa Delta, não!
    Mas aqui está um grande exemplo de espírito de aventura, ou seja lá o nome que quiserem dar a esse momento.
    Lembrei do Fernão Capelo Gaivota.
    Parabéns a ela que se permitiu.

    Meu carinho e meu beijinho à você.

    ResponderExcluir
  2. Consegui comentar por aqui, já tinha passado antes mas estava com problemas, não conseguia. Pois os post tem tido muito haver com o meu momento, inclusive esse acabei de comemorar meus 36 anos e tenho tudo haver com o inicio do texto. Agora o resto eu só ri muito, super engraçado, muito legal. Bjs Eliane

    ResponderExcluir
  3. Bom dia,Calu!!

    Nossa minha querida!!!Que coragem a dela!!!
    Confesso que não iria...rsrs
    Prefiro o chão.Terra bem firme!rsrs
    E pra mim sempre será fácil dar presentes...livros!!! Amo recebe-los!!!
    Meus filhos nem vão precisar pensar em nada tão inusitado!rsrs
    Beijos minha linda!!!!Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  4. Calu, que delíciaaaaaaaaaa voar assim. Bem corajosa a dona Leda. Conheço muitas senhorinhas que hj em dia só reclamam da vida e parecem esperar que a morte bata a qualquer momento.
    Fiquei com vontade de voar tbm :)

    bjos de luz e carinho na bochecha.

    ResponderExcluir
  5. Como não podia deixar de ser, me apaixonei pela Leda, gente! Sou a rainha do cagaço! Se o cara da frente cai, aí é que não salto!
    Olha, diz pra ela que virou minha heroína? Ah, coragem abençoada!
    Bjssssssssssss, quérida, e na Leda tb, claro!

    ResponderExcluir
  6. Minha querida Calu,

    Êita Dona Leda corajosa sô!!!Eu é que não posso ganhar um presente destes...meu filho já teve uma asa delta...mas euzinha nunca teve coragem nem de vê-lo saltando.
    Parabéns à dona Leda!!!
    Bjsssssssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
  7. Calu,

    Que saudade de você, amiga querida!
    Estou afastada dos blogs, da net e de todos os amigos por um motivo muito especial: estou retornando aos estudos.
    E sabe o que estou cursando? Vim até aqui só pra te dar a notícia: Pós-Graduação em Psicopedagogia Clínica e Institucional.
    Meu Projeto será elaborado em forma de TCC, e já estou amando!!!
    Logo vou dar um fôlego e volto para conversarmos como antes, se Deus quiser.
    Ah, antes que me esqueça, adorei seu texto, gostoso de ler...e a Dona Leda merece um troféu "daqueles", pra ser colocado junto ao retrato dela, em destaque, na parede da sala ...rs...Parabéns! Emociona, pessoas assim!

    Um beijo muito especial pra você, Calu, cheinho de saudade, e quero que saiba que jamais a esquecerei! Fica com Deus.

    ResponderExcluir
  8. essa Leda é um barato! não a conheço, mas já fiquei fã dela rs. demais!

    saudades do Rio, amo tanto esse lugar. a cidade, o estado, é um dos lugares que mais tenho carinho no mundo, Rio é um encanto.

    bom dia Calu!

    ResponderExcluir
  9. Calu, obrigada querida pela sua presença lá no Alquimia que resultou em alegria na minha alam. Obrigada. Agora, cada com seus desejos. Eu não tenho esse desejo e nem me passa pela cabeça, mas parabéns à brava senhora e a você pela narrativa vibrante e perfeita! grande e afetuoso abraço! Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi Calu, legal conhecer pessoas assim, nos dão a sensação de força, de coragem, de superação.
    Uma linda semana pra ti!

    ResponderExcluir
  11. Ai Calu, não parei de rir desde o principio do texto até ao finalzinho: "De jeito nenhum. Ele já caiu, então eu estou garantida"!

    Talvez eu seja assim aos 65.
    Quando moça costumava afirmar junto com as amigas que aos 80 ainda frequentariamos a discoteca em grupo. Mas o problema é que agora com 40 deixei de achar graça. Tudo muda, a gente junto. E a música nas discotecas tornaram-se muito agressivas (psicadélicas).

    Bom...talvez eu salte de parapente aos 65.
    Beijinhos.
    Rute

    ResponderExcluir
  12. rsrs, Sensacional o presente! E a sogra mais ainda. Mas creio que eu teria desmaiado só na oferta!
    Contou com muita graça, adorei.
    beijos, amiga. E um abraço à 'voadora'.
    tais Luso

    ResponderExcluir
  13. Calu..dei muita risada nesse seu texto..Dona Leda é coragem em pessoa...
    Eu não seria assim tão corajosa..rs
    beijos e um boa quarta feira
    titi

    ResponderExcluir
  14. Que legal!!Parabéns à vovó Rute!! Eu nem teria chegado perto da rampa!!rsrs Adorei! E tua interação linda está lá! beijos,lindo dia!chica

    ResponderExcluir
  15. Nossa que coragem!
    Mas a certeza que seria um sucesso tomou conta da D. Leda.
    Acabou por ser uma linda historia.
    Xeros

    ResponderExcluir
  16. Ai,que história linda,Calu!As vezes ouvimos contar de pessoas bem mais novas e desmotivadas para a vida!Um exemplo essa dona Leda!Parabéns a vc pela postagem e a ela por ter virado passarinho aos 60!bjs,

    ResponderExcluir
  17. Uau!Calu!Gostava de ter um décimo da coragem da D.Leda, eu tenho fobia de alturas e admiro muito, ainda mais com 65 anos a coragem de fazer uma coisa dessas!
    Muito bonito!
    Beijinhos

    ResponderExcluir

Teu comentário é o fractal que faltava neste mosaico.
Obrigada por tua presença querida!