segunda-feira, 11 de junho de 2018

Diz o dito popular



*(Tica)

" Eita, mundão véio sem porteira, sô", costuma-se ouvir na voz cantada do povo nos rincões deste país.São tantas expressões e ditados pitorescos a nos trazer de bandeja a sabedoria acumulada nas diferentes regiões da nação. Em minha recém-inaugurada juventude, em meados dos anos 70, fui presenteada com a convivência amiga de uma vizinha mineira de raiz. Com ela aprendi sobre as muitas sabedorias ancestrais colhidas na linguagem rotineira do povo do interior; povo castiço, guerreiro, trabalhador.

E, não é que nas duas semanas que passaram , mais uma vez pus em prática um ditado que ela repetia muito: __" Quando a água bate nas costas, a gente sai nadando."

Muitos(as) de vocês souberam que meu amigão, Thuran (Thuco), adoentou-se com gravidade. Até internado ficou. A coisa foi braba. Teve de receber sangue. O tratamento incluía um armário de medicamentos. Ele, embora caidinho, é um teimosão pra ingerir comprimidos.Assim, a cada dia travávamos quase uma luta corporal e inglória pra mim; ele vencia quase todas as batalhas.Eu punha os comprimidos partidos na banana amassada, no pedacinho de carne... ele mastigava, mastigava e cospia os remédios, arghf!

Me queixei chorosa com a veterinária, minha irmã por parte de pai, que me deu a notícia:
 __ Você terá de dar os medicamentos em injeções nele.
Como assim? Nunca dei injeção nem em boneca! No meu tempo de menina não havia boneca dodói. Ai, meus sais, e agora? " Durma-se com um barulho desses!"

Ela me tranquilizou. Veio aqui em casa e me ensinou como fazer. Enquanto ela aplicava a injeção com a maior naturalidade eu só conseguia me afligir vendo-me naquela situação.
" O que não tem remédio, remediado, está"!

Foi deste jeito que levantei decidida na manhã seguinte à aula e preparei a seringa com os três medicamentos do horário.Mirei o maior espaço de pele dele, logo após o pescoço e apliquei. Ele ficou quietinho e nem chorou. Desconfio que o sabichão percebeu a minha insegurança e colaborou. " Hip, Hip, Hurra! Hoje terminou todo o lote injetável. Ficam , ainda, dois comprimidos de antibióticos que precisam completar 40 dias... " Vamoquevamo!

* Há tempos , os fenômenos dos ditos populares/ sabedoria popular, vêm chamando a atenção dos linguistas e dos profissionais que trabalham com semiótica.Foi, então, criada uma ciência para estudar os provérbios: a paremiologia.

Vocês têm algum ditado de preferência? Contem aí nos comentários!

* Manuscrito Voynich__ é um misterioso livro manuscrito e ilustrado com conteúdo incompreensível. Acredita-se datado de mais de 600 anos por autor desconhecido. É chamado: "o livro que ninguém consegue ler".
Foto: Tica-2017- Feira do Livro de Frankfurt





15 comentários:

  1. A leitura aqui flui...tao bom te ler! Gisto de pensamentos e ditos...
    Gostei que te saiste bem como enfermeira do teu amigão...na hora ficamos fortes e vamos que vamos mesmo!! Ainda bem! DEUS NAO DÁ QUEBRA-QUEIXOS pra quem usa dentadura🤣🤣...
    E pra mim levo pela vida o pensar que minha irmã que faleceu ainda mocinha dizia e pintou num quadrinho: "rompe sa nuvens e verás o sol"...

    Bjs e ótima semana😙😙🌹chica

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, querida amiga Calu!
      Rs...
      Tive que rir do contributo da Chica... conheço este: de Deus dá o frio conforme o cobertor...
      É muito verdadeiro!
      Água mole em pedra dura...tanto bate até que fura... rs...
      Tenho visto verdadeiras erosões em pedras marítimas onde moro e onde passo. Também é real por incrível que pareça.
      Gostei muito da sua perspicácia costumeira ao postar.
      Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
      Bjm fraterno e carinhoso de paz e bem
      😚😍💟

      Excluir
  3. São expressões bem curiosas e gostei de conhecer algumas delas!
    bj

    ResponderExcluir
  4. Oi Calu, não sabia que o Thuran estava doente....puxa, que dureza...
    Você foi valente, hein....Torcendo para que ele fique ótimo!
    Não tinha ouvido falar desse manuscrito!
    Gosto desse ditado que você citou e uso muito: Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje....principalmente se forem coisas que te alimentam a alma.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Nom dia Calu, que beleza de post, é lendo que a gente aprende.Aqui no meu nordeste suas-se muito os velhos ditados. Minha mãe, quando alguém aprontava algo errado ela falava-Cesteiro que faz um cesto, tendo cipó e tempo faz um cento.

    Quando vejo a orelha do vizinho arder, ponho as minhas demolho.

    Para não perder o rebolado, leve a vida na valsa!

    Calú, agradecida por tê-la como seguidora e por ter fechado meus 150 sguidores.
    Logo deixarei o selinho da comemoração!
    Bom e abençoado dia!


    Bjss!


    ResponderExcluir
  6. Amei essa leitura! Dentre todos os ditados que conheço, o que mais gosto é: Não baldei água pra depois beber e outro com o mesmo significado é nunca diga dessa água não beberei.
    Minha mãe sempre repetia esses dois ditados populares ao longo de sua vida.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Olá Calu, amo esta maneira de educar, de ensinar, de compartilhar conhecimentos, que você sempre nos passa.Posso imaginar o que passou no tratamento do amigo, pois tive uma dessa com um papagaio para receber injeções. Imagine a pele de um falador,rsrs.
    Mas falou de Minas tocou em mim uai. Minas é um mundo de ditados e ditos como se diz. E lá vai:

    Boi na serra é chuva que encerra.
    Boi na baixa é sol que racha.
    Quem não tem bumbum não senta em morro.
    Quanto mais rezo mais assombração aparece.
    E por aí vai Calu.

    Um carinhoso abraço amiga.
    Beijo no coração.

    ResponderExcluir
  8. Calu, nem me fale em aplicar injeção! Tb passei um perrengue aqui em casa quando minha cachorrinha adoeceu e tive que dar soro pra ela todos os dias! A gente acha coragem nem sei de onde...kkk...Amei seu texto, sempre interessante, dinamico e claro como a luz! bjs

    ResponderExcluir
  9. Começo com um que me veio a lembrança agora: Quem casa, quer casa, este é muito sábio para um inicio da construção do casal.
    Parabéns por vencer a luta e cuidar do seu estimado, acho que eu não conseguiria. Um belo texto com interessante articulação das ideias. Bjs saudosos.

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde Calu,
    É sempre um prazer ler seus posts tão edificantes como este.
    Não deve ter sido fácil injetar os medicamentos em seu amigão!
    O que importa é que ele esteja bem.
    Sobre os provérbios gosto imenso e sei alguns!
    O que mais aprecio é o provérbio chinês que diz: "se vires um homem com fome à beira de um rio não lhe dês um peixe, mas ensina-o a pescar".
    Um beijinho e um excelente domingo.
    Ailie

    ResponderExcluir
  11. Adorei estar aqui , tudo lindo e encantador...
    Espero sua visita em meu blog também.


    Beijos
    Ani

    https://cristalssp.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Quando é preciso arregaçamos as mangas, sem dó.
    minha cadelinha ficou doente e eu que morria de medo , tive que acudir também.

    Quanto ao dito popular aqui no Sul escuto muito:
    Pau que nasce torto , morre torto.
    Vaca de rodeio não tem touro certo.
    Gaúcho bom não come mel, mastiga abelha! kkkk

    São tantas que não me lembro.
    melhoras para seu Thuco bj

    ResponderExcluir
  13. Calu
    Eu sei que o assunto é sério, mas eu tive que rir de você e do seu Tuhran querido
    Injeção nem em boneca ? Pera, pera que eu quero descer !
    Eu fazia até operação !
    Depois ficava com dó da única boneca, dura de plástico, sem pé e sem cabelo, dava um remedinho e pronto.
    Calu, você é uma guerreira ! Deu injeção de verdade e com certeza o efeito é curador !
    Sobre ditados populares, amo !
    Porém só lembro de um :
    Onde tem fumaça, tem fogo !
    Aplico muito .

    bjs

    ResponderExcluir
  14. Os ditados não envelhecem,
    até porque, são exemplos
    no dia a dia.

    beijos.

    .

    ResponderExcluir

Teu comentário é o fractal que faltava neste mosaico.
Obrigada por tua presença querida!