segunda-feira, 12 de outubro de 2020

A infância que me habita


De mão dada com a infância que me habita abri umas poucas lembranças da meninice, tempo de birras  voluntariosas, de alegrias espontâneas, de choros por joelhos ralados e de sono cheio de sonhos.


C'um raio de sol

na palma da mão 

acordei criança,

lembrança vivida.

E, juntas, saímos

à luz matutina

sorrindo pro céu,

pintando as nuvens,

dançando na poça,

cantando pras flores

canção inventada.

Debaixo do azul, 

ouvimos revoadas

das asas felizes,

 hora, libertadas.


Do fundo do baú saltou a foto-registro do meu amuo flagrado pela lente da Leica de meu pai. 



Feitas as pazes, monto em meu velocípede e saio pelo mundo.



Era dia de fotografar! Fomos a passeio pelos arredores. 






E, chegou o carnaval... 


Na pequenina historieta em 4 atos, religa-se o tempo. 



9 comentários:

  1. Muito bom. feliz dia para todas as crianças!:))
    -
    Flores que sublimam o olhar
    -
    Beijos e uma excelente semana.

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde de dia feliz, querida amiga Calu!
    Lindo seu post de reminiscências alegres de um tempo tão bom!
    Gostei de lhe ver de índia, uma fantasia que sempre alegrou as crianças.
    Há uma coisa que conservamos: permanecemos debaixo do azul...
    Tenha uma tarde recreativa com sua criança interior. De um docinho a ela, ��.
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  3. Querida Calu
    Doces lembranças de um tempo que, infelizmente, não volta mais.
    Amei a sua postagem!
    Tenha uma abençoada nova semana.
    Beijinhos
    Verena.

    ResponderExcluir
  4. Que menininha fofa! "Sono cheio de sonhos", uma das felicidades da infância, Calu. Seus versos ficaram encantadores, como o são as crianças. Gostei muito da postagem. Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Ahhh que linda infância, você e eu tivemos!
    Belas lembranças, amiga, adornadas pelas fotos que são raridades para aqueles tempos. As minhas se perderam, talvez nas mudanças ou com algum irmão que não abre mão. Eu também tive um velocípede e só lembrei agora quando vi você no seu. Coisa mais linda!
    E a poesia adornando tudo, maravilha!
    beijãozão

    ResponderExcluir
  6. Bom dia. Que lindo versejar deste mergulho interior, que nos presenteou com fragmentos da sua infância. Amei. bjs

    ResponderExcluir
  7. Bom dia Calu,
    Deliciosas recordações de infância!
    Registos em belas e ternas fotografias e poema maravilhoso!
    Momentos que ficam para sempre guardados no coração.
    Beijinhos e resto de boa semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  8. Recordações da infância são eternas.
    E sempre habitará em nós!
    bjs

    ResponderExcluir
  9. E recordar... é reviver!... Às vezes, é tão bom, e tão fundamental!
    Adorei esta sua postagem Calu, evocando tão doces e significativas lembranças!
    Que saibamos manter sempre o olhar de criança... para nós, os outros e o mundo... que nos abre sempre a porta para a possibilidade dos sonhos e do optimismo, sem tempo para cultivar mágoas e rancores... e que sempre nos desviam do nosso foco... a felicidade!...
    Beijinhos! Feliz semana!
    Ana

    ResponderExcluir

Teu comentário é o fractal que faltava neste mosaico.
Obrigada por tua presença querida!