segunda-feira, 13 de julho de 2020

Eco à vida




Como era divertido brincarmos de "eco" na infância. Quando se encontrava um promissor recanto pelas vizinhanças da casa, logo, a criançada se apinhava pra brincar de ecoar. Eram sons curtos, ruídos imitando buzinas, campainhas de porta, latidos de cães e toda sorte de invencionices que brotavam das cabecinhas criativas na brincadeira. 

Lamento pelas crianças de hoje, na maioria, presas nos apartamentos urbanos onde não se fazem ecos criativos e, sim, barulhos ensurdecedores e até mesmo, alarmantes.

Há lindas simbologias sobre o eco na literatura mundial, mas a grega supera todas as criações sobre o fenômeno. Eles têm até uma musa: Eco, apaixonada por Narciso e, por isto, castigada por Zeus obrigando-a  a repetir apenas o final das palavras proferidas por outros. Uma injustiça.

No entanto, há obras lindas e poéticas sobre o "Eco", como esta do poeta brasileiro, jornalista e tradutor Guilherme de Almeida, membro da Academia Brasileira de Letras( falecido em 1969).


" Perguntei à minha vida
__ Como achar a apetecida
felicidade absoluta?
E um eco me disse:
       ___ Luta! 

Lutei. __ Como hei de a esta pena
dar a cadência serena
que suaviza, embala e encanta?
O eco, então me disse:
    ___ Canta! 

Cantei.__ Mas, como, num verso,
resumir todo universo
que em mim vibra, esplende e clama?
Então, o eco me disse:
     ___ Ama!

Amei. __ Como achar agora
 a alma simples que eu pus fora
pelo prazer de buscá-la?   
O eco, então, me disse:
  ___ Cala! 


Calei-me. E ele, então, calou-se.
Nunca a vida foi tão doce...
Tudo é mais lindo a meu lado:
Mais lindo, porque calado!"




(* imagemGoogle/ ninfa Eco__ não encontrei a autoria)


14 comentários:

  1. Boa tarde de nova semama,querida amiga Calu!
    O silêncio, quando não em demasia, aquieta o espírito. Solidão povoada gera muita criatividade.
    Bonita a história grega relembrando também coisinhas da infância como o eco e, no descampado, produzia muita ressonância.
    Belas e engraçadas recordações.
    Vamos prosseguir lutando, cantando, amando e calando... Valerá a pena!
    O eco do Amor seja nossa mansidão.
    Tenha dias abençoados!
    Bjm carimhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  2. Que beleza,Calu! Realmente eram brincadeiras boas aquelas...Pobre os ouvidos dos adultos,enquanto nossos ECOS eram soltados ao ar,rs... Lindíssima, profunda e tocante poesia! ADOREI! Valeu...òtima semana, cheia de sons legais e os ecos que tenho saudade são tantos... bjs, chica

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde!
    Fantástica e riquíssima publicação. Amei! 🍀🌼
    ~~
    A Linha da Vida

    Beijo e uma excelente Semana.

    ResponderExcluir
  4. Maravilhoso de ler. Não conhecia essa brincadeira de crianças... o eco. Nasci no campo, onde haviam muitas crianças mas não me lembro de brincar ao eco. Talvez em Portugal não se usasse e/ou use
    Gostei muito do Poema. Maravilhoso de ler

    tenha uma semana feliz

    ResponderExcluir
  5. Brincadeiras simples mas alegravam perdeu, se...não ecou nestes dias de tantos barulhos . Linda poesia de grandes verdades. bjsss

    ResponderExcluir
  6. Saudades dos tempos de infância, sem preocupações e neuras. Ontem estava lendo sobre a lenda da Eco, muito interessante.
    Acho que todo mundo vive com um senso de urgência desnecessário hoje em dia. Temos que ser produtivos até nos nossos momentos de ócio (tenho que maratonar tal série, tenho que terminar tal livro). Ninguém tem-que-nada. É importante mesmo conseguir rever seu tempo e fazer tudo conforme sua vida, seu ritmo.
    Tem postagem nova no blog - se possível, passa por lá!
    Bj e fk c Deus.
    Nana - http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Excelente postagem, Calu.
    Era mesmo divertida a brincadeira do Eco...rs.
    Amei ler Guilherme de Almeida.
    Abençoada semana para você.
    Um beijinho carinhoso
    Verena

    ResponderExcluir
  8. Que lindo e emocionante,gostei imenso da tua publicação!! Continuação de um excelente mês de Julho para ti,muita alegria,muita paz e imensa saúde para ti,fica bem,muitos beijinhos!!

    ResponderExcluir
  9. Bom dia tudo bem? Sou brasileiro, carioca e procuro novos seguidores para o meu blog. E seguirei o seu com prazer. Novos amigos também são bem vindos, não importa a distância.

    https://viagenspelobrasilerio.blogspot.com/?m=1

    ResponderExcluir
  10. A brincadeira do Eco era maravilhoso...adorava!
    Hoje os ecos da vida adulta são mais pesados.

    Boa postagem , bjsss

    ResponderExcluir
  11. Nada como lembrar este tempo de feliz idade Calu.
    Aqui o eco com toda sua expressão nos levando a uma linda reflexão com esta bela arte do Guilherme.
    Um belo achado na perfeita procura para falar de um tempo.
    Lindo demais Calu, grato pela partilha.
    Carinhoso abraço e feliz semana renovada.

    ResponderExcluir
  12. Oi Calu. Como era legal a brincadeira do eco... nossos sonhos ecoavam também ...
    Qualquer vou escrever sobre minha infância, que foi linda.
    Não sabia da lenda do eco grego.
    Poesia interessante, gostei.
    Tenha uma linha semana.
    blogjoturquezzamundial
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Olá, Calú, que lindo esse poema, não conhecia. Isso há muito que não existe. Minha infância foi ótima, diferente dos meus filhos, criados em apartamento, quanta diferença. Nós brincávamos na rua, com os vizinhos, corríamos, gritávamos...
    Bela partilha!
    Beijos, até mais!

    ResponderExcluir
  14. Maravilhoso poema, Calu, que desconhecia por completo! Há crianças que hoje em dia... deixaram de saber brincar... e até mesmo de saber socializar... de tão presas que estão às novas tecnologias... passando o tempo livre em frente de telas... sem até nem querer sair... quando iniciam suas maratonas de jogos on-line...
    Estranhos e preocupantes tempos estes... a todos os níveis, infelizmente...
    Um beijinho grande! Tudo de bom!
    Ana

    ResponderExcluir

Teu comentário é o fractal que faltava neste mosaico.
Obrigada por tua presença querida!