quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Imagens&Sentimentos


 Tudo o quê se avista daqui, desde antiquíssimos relatos, fazem moldura ao desenho das águas da baía alongando o belo relevo  e, nele também incluindo-se, propositadamente, como fechos incrustados  numa mesma pulseira.  
Tudo que daqui se avista, revela genialidades naturais; ressalta quietude incompleta a deixar vazios n'alma.










Num fim de tarde assim, flutua entre nuvens a mansuetude das horas finais do dia.

Por mansidão, escolho os mantos das nuvens.
Por suavidade, escolho a brisa que sopra no ar.
Por amenidade, escolho o lazer das pessoas.
Por plausabilidade, escolho o relevo impactante.
E, para mim, escolho serenidade, sempre!






5 comentários:

  1. Boa noite, querida amiga Calu!
    No tecer da serenidade do anoitecer que se achega bem pertinho, ainda que seja com céu ainda azul de Primavera, venho ler e sentir na alma o que passou com tanta expressividade que toca fundo no coração de qualquer insensível, na certa.
    As rimas no início dos versos me deu um encantamento de tentar... obrigada por tão inusitada forma poética cujas palavras que bordam seus versos são da mais profunda categoria.
    Lindo de ler e sentir (digo uma vez mais) sua mensagem de paz profunda ainda que com algum vazio n'alma... é a vida!
    Tenha a alegria de plantas recém regadas na primavera!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosas tuas fotos e palavras que sempre saem de dentro de ti mescladas em poesia! Adorei! beijos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Calu,
    Tão belas as suas fotos que as suas palavras poéticas tão bem enquadram!
    Aprecio imenso a sua prosa e fotografia.
    Beijinhos e bom fim de semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  4. Querida Calu, belos olhares para um olhar para dentro e de lá um voo magnifico poeticamente.
    Se se consegue esta serenidade terá feito uma grande conquista nesta vida Calu.
    Beleza de construção amiga.
    Carinhoso abraço.

    E por onde anda o Verdinho?

    ResponderExcluir

Teu comentário é o fractal que faltava neste mosaico.
Obrigada por tua presença querida!