sábado, 24 de novembro de 2012

Corrida desenfreada


Depois de ter visto no noticiário as imagens da tal "Blak Friday", me deu tratos á bola.Hoje eu não entraria numa muvuca destas de jeito nenhum.Longe de mim criticar quem tem espírito esportivo e encara numa boa toda esta insanidade.Seja por necessidade ou divertimento, gosto não se discute.Mas, pelo que lembro, não é do meu feitio me meter em multidões(rs).Imagino como ficaram os grandes magazines de NY, ontem, pois se em dias corriqueiros da semana, já são tumultuados pro meu gosto, que dirá em situação de saldo geral, cruzincredo.

No jornal de hoje tem uma chamada sobre a edição brasileira de megapromoções, que acusa o comércio de maquiagem, causando revolta nos consumidores que afirmam que os preços foram aumentados antes da promoção acontecer.Típico!
( enviado pela amiga Beth Lilás)

Embora os apelos ao consumo sejam avassaladores, com um tanto de bom-senso e criticidade é possível direcionar o foco da data para a valorização de seu verdadeiro significado.Não é preciso radicalismos, mas um equilíbrio entre os dois pólos seria ideal.Presentes fazem parte da tradição, porém, os que forem fruto de criatividade, arte, carinho e atenção são os que refletirão melhor a data. Pelo menos, assim penso.

Lya Luft, tem uma crônica interessante sobre o tema, chamada Prioridades, daí trouxe aqui um trechinho para ilustrar nossos pensamentos.

"...Muito do que gastamos ( e nos desgastamos) nesse consumismo feroz podia ser negociado com a gente mesmo: uma hora de alegria em troca daquele sapato.Uma tarde de amor em troca da prestação do carro do ano;um fim de semana em família em lugar daquele trabalho extra que está me matando e ainda por cima detesto.
Não sei se sou otimista demais,ou fora da realidade.Mas,à medida que fui gostando mais de meus jeans, camisetas e mocassins, me agitando menos, querendo ter menos, fui ficando mais tranquila e mais divertida[...]" 
------------------ 

Não pretendo levantar bandeiras utópicas,só quero dar uma mãozinha pro bom-senso sabendo que terei,dia menos dia, de encarar uma lojinha, ai meus sais!
****
Bom fim de semana pra vcs.

Imagem:artfriends

25 comentários:

  1. Muito bom,Calu!! Eu detesto muvuqueiras assim, n~çao suporto aglomerações e correrias nos shoppings. Respeito que adora isso. Na minha família tem muita gente assim. Não vive sem comprar e ir aos shoppings.

    Eu Fooooooooooora!!!

    Aqui para o Natal ,novamente teremos o amigo-secreto e o sorteio será feito essa semana.

    Assim que souber, vou lá e faço no início de dezembro.

    Depois, nem me peçam pra comprar. Posso ir ao cinema, passear, mas compras, ninguém me pega!rs beijos,adorei te ler! chica

    ResponderExcluir
  2. Cruzincredo, Calu!
    Lojas nesta época do ano... Vamos evitar lixo, e o Planetinha agradece.
    Que tal uma fornada de roscas ou bolachinhas, umas compotas, para presentear os íntimos (não é incomum aqui no interior)?
    Meu beijão.

    ResponderExcluir
  3. Na nossa humilde sociedade capitalista quem não compra não sabe o que esta perdendo - ou sabe muito bem

    Abraço Calu,
    do Felipe

    ResponderExcluir
  4. É isto gente,
    podemos utilizar muitas idéias criativas para presentear sem precisar aderir ao consumismo maluco.
    Já fiz muitas tortas e pães natalinos, como sugeriu a Cristina.
    Bom sábado.
    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Oi Calu!!!!!

    Arrasou no post!

    Beijos

    Selma

    ResponderExcluir
  6. Calu
    faz muito tempo que deixei de fazer compras de Natal nas lojas e shoppings...sempre presenteio com algo feito por mim, pode ser mais simples mas o amor que vai junto não tem limite!!
    Sou assim, mania de fazer de tudo um pouquinho...
    bjos em seu coração
    Laurinha

    ResponderExcluir
  7. Olá

    Penso
    que o consumo
    nos rouba
    o melhor da vida:
    tempo de contemplar
    o simples
    e entender
    que alegria não se compra.

    Que amar seja para ti
    o objetivo de cada instante.

    ResponderExcluir
  8. Concordo Calu.
    Esse consumismo desenfreado é uma satisfação falsa. Daqui a pouco o pessoal descobre que o que comprou não funciona, não serve, não coube, enfim..... o
    ser que se diz humano, vive uma ilusão sem fim.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Sempre somos enganados e sabemos! Quem quer o nosso bem, quem se preocupa conosco somos nós mesmos. Isso tem muito a ver com o post que eu publiquei: "Enquanto ele não vem." Calu, querida, grande abraço e fim de semana! Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá!Boa noite!
    Calu
    Tudo bem?
    ...nosso mundo está cada vez mais globalizado,e a troca de idéias e mercadorias entre os
    mais distantes lugares, a dinâmica
    de informações é intensa e constante, após o advento
    da internet.
    Através dos meios de comunicação, a mídia tem realizado o seu
    trabalho de convencer as pessoas a consumir, utilizando até de promoções de "julgo" duvidosos. O ser humano nasce e cresce vivenciando esse
    mundo , e acreditando que a felicidade possa ser
    encontrada quando se adquire determinada marca ou produto. Divulga-se constantemente a ideia da
    felicidade comprada.
    O individuo que nasce nesse ambiente consumista dificilmente aprende
    valores interiores e subjetivos, que o edificam como
    ser pensante e emotivo. Decorre disso a dificuldade de se preencher o vazio
    interior, o que é comumente buscado no consumo de bens concretos e
    superficiais...é o que eu penso!
    Também, detesto multidões e aglomerações!
    ah...sim...aquele Conto vai para o livro do Christian
    Obrigado!
    Ótimo domingo!
    Beijos
    ClicAki Blog(IN)FELIZ

    ResponderExcluir
  11. Calu, como bem disse Ancelmo Góis no O Globo de sábado: "Black Friday é o cacete!"
    E quer saber, tem toda razão! Se eu tivesse a acessibilidade que ele e outros têm nas mãos sobre a mídia, escreveria igual, bem assim, rudemente.
    Mas, olha Calu e pessoal, o povo não é mais bobo, tá ficando esperto, lendo mais e até mesmo as redes sociais que enchem com muita besteira, numa hora dessas ajuda muito, porque compartilha-se este tipo de informação para alertar alguns desavisados. Eu mesma compartilhei sobre isto logo de manhã cedo e depois muitos o fizeram também.
    Assim como você, não me animaria para ir a compras num dia desses, tenho maior medão de tumultos e nem sei comprar nada em meio à confusão e gritarias.
    Ainda bem que o Procon de S.Paulo botou pra quebrar, vai notificar empresas por suspeita de manipulação de preços e eu achei maravilhoso. Alguma coisa está mudando no front, né mesmo?
    beijocas cariocas


    ResponderExcluir
  12. Calu,uma cronica perfeita!Eu tb quero distancias dessas aventuras consumistas!...rss...legal a msg final, é mais meu estilo!bjs e bom domingo!

    ResponderExcluir
  13. Sabe Calu, que gostei muito de encontrar seu blog bonito e mais colorido!?
    Estou voltando as visitas e comentários.
    Estou de férias e cuidando do meu pai e das atividades burocráticas após o falecimento da minha mãe.
    Ontem foi um dia muito triste, o de arrumar as coisas dela para doação. Voltei para casa pensando exatamente no que é necessário, exagero, consumismo, essencial.
    A mensagem que a Lya Luft passou e que você com muita propriedade resgatou, foi algo que ontem eu aprendi com a minha mãe, que sempre viveu com simplicidade, sem exageros. A vida se vai e os bens materias ficam, alguns intactos. Prá que?
    Viver cada momento com muita emoção e diversão é o que realmente importa.
    bj Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  14. Minha querida Calu,

    Já gostei muito destas muvucas,não nego,corria em busca de liquidações, mas foi em outros tempos em que sa pessoas eram mais honestas...hoje não me arrisco mais.Existe aqui em minha cidade atual, um supermercado que de vez em quando atrai multidões com suas ofertas de 24 horas...e as pessoas passam a noite em filas e depois entram como uma boiada solta...é terrível.
    Também gosto do básico, adoro jeans e camiseta...mas também gosto de umas comprinhas de vez em quando.

    Boa postagem, amiga.
    Bjsssssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
  15. Assim mesmo, tudo por 50% off do dobro do preço,rs
    beijos

    ResponderExcluir
  16. Calu, também não gosto de confusão. Até prefiro pagar um pouco mais e ser bem atendida. E não confio nessas mega liquidações. Não é o preço de um presente que vai satisfazer quem o recebe, mas o carinho com que foi escolhido, para ir ao encontro do gosto do presenteado.
    Compramos muitas coisas desnecessárias, realmente. Tenho me policiado, atualmente, para evitar esse comportamento. Quando me aposentei, fiquei com o guarda-roupa cheio de peças que não mais vou usar. Foi-se o tempo da formalidade e hoje abraço a simplicidade. Bjs.

    ResponderExcluir

  17. Olá Calu,

    Já estava sentindo falta de você.
    Disse ontem para o meu marido que jamais prestigiaria esta "Blak Friday". Não gosto de multidão, nem de lojas lotadas. Até já compro os presentes de Natal com antecedência para me livrar de tal sufoco. Gosto de ser bem atendida no comércio, pois, afinal, é ele que precisa do cliente. A concorrência é grande. Nada de mega liquidações, que sabemos tratar-se, na maioria das vezes, de propaganda enganosa. Já fui consumista, mas hoje compro com moderação (rsrs).
    Gostei das palavras de Lya Luft.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  18. Meu natal é sustentável, Calu!! Não entro nessa de consumismo!! Aqui em casa fazemos questão do presépio e de passar o dia de natal com a família reunida. Gosto sim de enfeitar a casa e cada enfeite tem uma história, pois eles foram se acumulando com o passar dos anos. A mesa também ganha uma arrumação especial e acho que o presente está aí: uma mesa bonita, comida gostosa, família reunida para festejar o aniversário de Cristo.
    Meu filho acompanhou o Black Friday e como ele sabe o preço de tudo, fazia piada! Os preços eram os mesmos de antes e aqueles que estavam por fora, achavam que estavam fazendo vantagem.
    A minha fé na humanidade diminui a cada ano nesse período. Esse ano, foi em uma reportagem sobre as compras do natal, anteriores a esse último evento. Uma mãe foi entrevistada com uma criança no colo e quando ela disse "A minha filha até já está entendendo o que é o Papai Noel" #morri!!
    Papai do céu perdoa tudo?
    Beijus,

    ResponderExcluir
  19. Oi Calu, esse tal Black Friday é uma manobra para ganhar mais dinheiro às custas da, talvez, "inocência" do povo e me irrita essa mania de ficar copiando os americanos em tudo, nada autêntico! Mas esse dia de mega descontos (será???) deu mt o que falar aqui no Brasil, mts pessoas reclamaram. Eu penso que não tendo cacife e nem estrutura pra realizar tal coisa, não realiza! Nesse mundo capitalista vale de tudo! Mas eu ficaria mais feliz se, ao invés do Black Friday, o Brasil "copiasse" (já que copia msm)a tradição que os americanos tem de comemorar com td a família ao redor da mesa o thanksgiving, o dia de Ação de Graças e agradecer a Deus por todas as graças recebidas durante o ano. Quase ninguém fala e quase ninguém comemora este dia aqui no Brasil, é uma pena! :(
    Bjsss Calu, tenha um ótimo dia!
    Sileni
    www.viveraprendendo.com

    ResponderExcluir
  20. Calu,
    Aqui no Brasil não vi vantagens nesse black friday, mas meu irmão mora nos EUA e diz que lá vale a pena sim enfrentar as multidões, pois o preço cai verdadeiramente e não como aqui que não cai nem um tostão furado. Eu não sou consumista, muito pelo contrário, não gosto mesmo de ir as compras. E prefiro ir nas lojas fora da época de lotação. Sou melhor atendida.
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
  21. Também detesto lojas cheias, mas vou precisar enfrentar, pois nesta tradição a lembrançinhas não ficam de fora. E eu falo "na minha culpa", pois mesmo priorizando a reunião familiar, acostumei as filhas com os presentinhos bjs

    ResponderExcluir
  22. Também detesto lojas cheias, mas vou precisar enfrentar, pois nesta tradição a lembrançinhas não ficam de forabjs

    ResponderExcluir
  23. Calu,
    detesto shopping de maneira geral, muvuca em loja fujo mais que diabo da cruz, rs Gosto de presentear, mas em geral vou comprado durante o ano todo, vejo algo com a cara de alguém e já adquiro, mas nessa época é inevitável cair no comércio... Acho que o Black Friday funciona nos EUA, por aqui não acredito!
    bj e boa semana
    Jussara

    ResponderExcluir
  24. Sua cronica ficou perfeita com a ilustraçãoda Lya.
    Como acompanho muito pela internet,fui provocado durante dias sobre esta Sexta.
    E posso afirmar que houve maquiagem e muito mal feita,principalmente nos produtos de informatica.
    Creio que uma real promoção é uma que acontece numa grande loja de Belo Horizonte/Betim no primeiro dia util do ano, que pode ser vista pelo jornal da televisão.
    Um abração Calu.

    ResponderExcluir
  25. Bom dia,Calu!!!!

    Perfeito!!!!Como não concordar plenamente?!Com você e com a Lya Luft!!
    Não me aventuro nestas loucas promoções(nem sempre são isentas,né?!), incentivar o consumismo e relegar o que realmente importa!!
    Beijos e meu carinho!

    ResponderExcluir

Teu comentário é o fractal que faltava neste mosaico.
Obrigada por tua presença querida!